Terça-feira, 04 de Maio de 2010

A minha pessoa não é nada dada a poesias ( com excepção para raríssimos poemas).

Sempre achei a poesia demasiado formal, demasiado pensada, com muita escolha de palavras, menos natural que a prosa, diria. Ideias....

 

(pensar que era na poesia que tinha as melhores notas em língua portuguesa, gostava de interpretar a coisa)

 

Contudo, ontem quando estava na explicação, este poema surgiu e eu adorei....

 

Mãe!

Dói-me o peito.

Bati com o peito contra a estátua

que tem em cima o verbo ganhar.

Ainda não sei como foi.

Eu ia tão contente!

Eu ia a pensar em ti e

no verbo saber

E no verbo ganhar.

Estava tudo a ser tão fácil!

Já estava a imaginar a tua alegria

quando eu voltasse a casa

com o verbo saber

e o verbo ganhar,

um em cada mão!

Dói-me muito o peito, Mãe!

passa a tua mão pela minha cabeça!


tags:

publicado por woman às 10:03
mais sobre mim
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO